Cinema no Sul de Angola

O cinema e Angola têm uma longa história (ver Angola: o nascimento de uma nação, eds. Maria do Carmo Piçarra e Jorge António, 2013, 3 volumes). Uma vez que um dos fotógrafos-etnógrafos abordados realizou filmes naquela região, interessou-nos particularmente as produções localizadas na região do sul, relativas ao contexto do sul rural.

Esta página está em desenvolvimento. Reune referências de filmes produzidos na região, partilhando o seu acesso em linha, quando disponível. 

Está dividida em duas secções, a primeira reúne informações sobre filmes produzidos num contexto rural, desde a pós-independência de Angola. A segunda secção, reúne filmes produzidos no período colonial.

Actualmente, existe uma produtora em actividade, sediada no Lubango, e alguns dos seus filmes circularam em vários festivais de filmes pelo mundo inteiro: a Filmes sem Futuro.

O Contexto Rural na pós-independência

Presente Angolano, Tempo Mumuíla 

1979

A Série “Presente Angolano, Tempo Mumuila” é composta por 10 episódios produzidos entre 1977 e 1979 pela Televisão Popular de Angola (TPA). Somando quase 6 horas, e variando entre 20 e 60 minutos, os 10 episódios introduzem o modo de vida de pessoas de origem Ovanyaneka, das zonas rurais da Huila, Sudoeste de Angola.

Apenas seis dos dez episódios da série estão disponíveis em linha. Originalmente rodadas em 16mm, as versões disponíveis foram feitas a partir de cópia de DVD.

Realizada por Ruy Duarte de Carvalho.

Poster of

O Kimbanda Kambia

41 min

Dois encontros com o Kimbanda Kambia, um (kimbanda) curandeiro tradicional em regiões rurais do Sul de Angola.

Cópia com dois ligeiros cortes de som.

Ofícios

25 min

Este episódio retrata o saber fazer de funções especializadas tal como o oficio de oleira, de ferreiro, de kimbanda (curandeiro) e de cabeleireira, entre comunidades rurais ovamwila, na Huila, Sudoeste de Angola.

Pedra Sozinha Não Sustém Panela

41 min

“O confronto entre duas visões do mundo: a dos mais velhos do Jau e a dos alunos da faculdade de Letras do Lubango.”

Cópia com cortes de imagem ocasionais

Ondyelwa: Festa do Boi Sagrado

42 min

Anualmente, o cortejo do boi sagrado marca uma pausa no tempo mumuila, não se realizando trabalhos pesados nem agrícolas.

Cópia com dois ligeiros cortes de som.

Makumukas

27 min

Episódio que retrata uma sessão de apaziguamento de espíritos, celebrado em comunidades rurais ovamwila (bantu, ovanyaneka), na Huila, província no Sudoeste de Angola.

Ekwenge: festa de iniciação dos rapazes

25 min

Episódio que retrata uma festa de iniciação dos rapazes, ekwenge, celebrado em comunidades rurais ovamwila, na Huila, província no Sudoeste de Angola.

Nelisita: Narrativas Nyaneka  

1982

64 min, 1982, 16mm, cópia a partir de DVD. Produção Instituto Angolano do Cinema (IAC). Legendado em português

A fome domina o mundo e apenas restam vivos dois homens com as suas famílias. Um deles parte em busca de comida e encontra um armazém onde certos espíritos guardam enormes quantidades de géneros alimentícios e roupas. Apropria-se do que pode transportar e volta mais tarde acompanhado do seu vizinho. Este deixa-se apanhar e denuncia aos espíritos a sua morada e a do seu companheiro. Os espíritos aprisionam toda a gente menos uma mulher que se descobre grávida, para que esta venha a ter o filho e assim se apossarem de mais um ser vivo. Nasce então Nelisita, aquele que se gerou a si mesmo. Este ludibria o espírito que o vem buscar, a si e à sua mãe, que acaba por ser levada. Nelisita parte à sua procura e apresenta-se ao rei dos espíritos para reclamá-la. O rei dos espíritos alicia Nelisita a passar para o lado dos que monopolizam a comida. Nelisita resiste. Será submetido a várias provas, mas socorre-se dos animais da criação, seus aliados, para os vencer. Perante o poder de Nelisita, os espíritos fogem amedrontados. Nelisita salva os seus e recondu-los a casa montados no carro dos espíritos, transportando tudo o que se encontrava no seu armazém.

A partir de duas peças de literatura oral das populações Ovanyaneka do Sudoeste de Angola, contadas por Constantino Tykwa e Valentim, a partir das versões fixadas por Carlos Estermann no livro Cinquenta contos bantu do Sudoeste de Angola, Ruy Duarte de Carvalho cria uma ficção onde o povo actua e encena as próprias lendas.

Realizado por Ruy Duarte de Carvalho

Honey [Mel] 

[Huchi], 2013

39 min, doc

O filme “Honey” retrata a produção de mel por abelhas selvagens e diferentes modos de consumo de mel nas zonas altas do centro de Angola. Na área do Cusseque o mel é uma importante receita financeira e meio de subsistência. É utilizado com fins medicinais e auxiliou os habitantes locais a subsistir no contexto da guerra civil. O mel está, portanto, profundamente enraizado na cultura local. O filme foi concebido e rodado por um grupo de aldeões da área do Cusseque durante uma oficina de cinema participativo organizado pelo projecto de pesquisa internacional “The Future Okavango”, que investiga recursos na Bacia do Okavango.

Realizado & filmado por Adelina Antónia, Martin Gruber, Miguel S. Hilario, Henriques Bino Job, Fatima Jose & Evaristo Quintas

Fazer pela Vida na Estação Seca

2016, 35 min, doc, MiniDv, 4:3 letterbox
Angola, Reino Unido, Portugal

Rodado numa aldeia nas montanhas, o filme é um retrato íntimo do dia-a-dia duma família a viver numa quinta agro-pastoril na província do Namibe, Angola. 

Realizado por Inês Ponte

A Story from Africa

2019, 32 min, fotofilme, Portugal


Na sequência da resolução da Conferência de Berlim de 1885 quanto à divisão de África, o exército português usa um oficial talentoso para registar a ocupação efectiva do território conquistado em 1907 ao povo cuamato, no sul de Angola. A Story from Africa dá vida a este arquivo fotográfico raramente visto através da história trágica de Calipalula, o fidalgo cuamato que foi decisivo no desenrolar dos eventos desta campanha de pacificação portuguesa.

Realizado por Billy Woodberry

50 Anos no Sul de Angola

2019, 8 min, fotofilme, Portugal


Uma breve estória sobre o padre Carlos Estermann (1898-1976), e da sua longa relação com a fotografia para o seu trabalho de etnógrafo: 50 anos no Sul de Angola.

Realizado por Inês Ponte

Filmes em Contexto Rural produzidos na Época Colonial

Morros Salalé: Fronteira B

1928?, 4 min, 16mm, Portugal

Realizado por José Luís Gonçalves Canelhas

Acesso online na Cinemateca Digital Portuguesa, aqui.

Gentes Que Nós Civilizámos

1944, 17 min, 35mm, Portugal

Realizado por António Lopes Ribeiro

Acesso online na Cinemateca Digital Portuguesa, aqui.

Esplendor Selvagem

1972, 94 min, Portugal

Realizado por António de Sousa